Jarbas Lopes

biografia

sem título
lona de campanha política e feltro
195 x 183 cm
da série O Debate

2014

Jarbas Lopes (Nova Iguaçu, RJ, 1964). Vive e trabalha em Maricá, RJ.

 

Cartazes de campanha política entrelaçados, como se os candidatos estivessem disputando por um espaço com seus eleitores. Jarbas Lopes trabalha com materiais banais, buscando sempre reconfigurar os objetos dando-lhes um novo significado, movimento este sempre permeado por um tom crítico. Alterando a aparência de bicicletas sem, no entanto, interferir em seu uso, Jarbas preenche espaços vazios e encapa a superfície metálica delas com trançados de vime. 

Seu trabalho mais polêmico, “Troca-Troca” (2002) consiste num longo trajeto percorrido pelo artista e sete amigos que foram de carro do Rio de Janeiro a Curitiba (aproximadamente 800 km). A viagem aconteceu em três fuscas, que andavam sempre próximos uns aos outros e estavam conectados por uma rede de som comum. Originalmente os automóveis eram amarelo, vermelho e azul, mas tiveram suas portas, capô e porta-malas trocados entre si tornando-se todos coloridos. Ao longo do percurso, o artista foi colando nos carros adesivos em que se liam palíndromos como “lateral é tela retal” e “aja na naja”. Na chegada, os carros fizeram parte da exposição que inaugurou o Museu de Arte Contemporânea de Curitiba. 

Sua série de desenhos que compõem o projeto “Cicloviaerea” possui uma delicadeza ímpar, unindo imaginação e inventividade. Formado em Artes Plásticas pela Escola de Belas Artes da UFRJ. Participou de exposições como “Off the grid”, na Galeria Lehmann Maupin, em Nova York (2002); 8a Bienal de Havana (2003) e “Gambiarra – New Art from Brazil”, em Londres (2003). Tem um trabalho no acervo da Tate Modern, em Londres. Integrou a 27° Bienal de São Paulo, 2006.

Fonte: Itaú Cultural