Waltércio Caldas

biografia

Time
acrílico
33,5 x 7,5 cm
Edição de 20

Waltércio Caldas Júnior estudou pintura com Ivan Serpa (1923 – 1973) em 1964, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro – MAM/RJ. Entre 1969 e 1975, realiza desenhos, objetos e fotografias de caráter conceitual. Na década de 1970, leciona no Instituto Villa-Lobos, no Rio de Janeiro é co-editor da revista Malasartes integra a comissão de Planejamento Cultural do MAM/RJ participa da publicação A Parte do Fogo e publica com Carlos Zilio (1944), Ronaldo Brito (1949) e José Resende (1945) o artigo O Boom, o Pós-Boom, o Dis-Boom, no jornal Opinião. Em 1979, sua produção é analisada no livro Aparelhos, com ensaio de Ronaldo Brito, e, em 1982, no Manual da Ciência Popular, publicado na série Arte Brasileira Contemporânea, pela Funarte. Em 1986, o vídeo Apaga-te Sésamo, de Miguel Rio Branco (1946), enfoca a sua produção. Recebe, em 1993, o Prêmio Mário Pedrosa, da Associação Brasileira de Críticos de Arte – ABCA, por mostra individual realizada no Museu Nacional de Belas Artes – MNBA, no Rio de Janeiro. Em 1996, lança a obra O Livro Velázquez e realiza a mostra individual Anotações 1969/1996, no Paço Imperial, Rio de Janeiro, apresentando pela primeira vez seus cadernos de estudos.Waltércio Caldas é um artista brasileiro que trabalhou como escultor, desenhista, artista gráfico, gravador, cenógrafo, figurinista. As obras de Waltercio Caldas provocam um estado de suspensão naqueles que as contemplam. Desmontam a certeza da experiência, pulverizam a acuidade do olhar, deslocam o espectador para uma posição inquietante, onde a percepção visual não se diz como rotineiramente. De fato, não se oferecem como simples alteridades. São antes o móvel por onde acontece o ataque aos olhos absortos do espectador, o campo de ativação do seu pensamento, de uma relação conflitante deflagrada pelo cálculo preciso e parcimonioso de meios. A limpidez de suas formas, sua elegéncia, contrasta com o inacabamento ou a virtualidade que também sugerem. O olhar os vai adejando cautelosamente para ao final recolher a impressão de que só teve acesso a uma fração apenas. Aliando uma fina inteligência formal e jogos provocativos e por vezes bem humorados para o olhar, Waltercio Caldas gera interrogações sutis para cada espectador, nos ensinando a ver para além do que hábito nos ensina.

Fonte: Escritório de Arte