Felippe Sabino

biografia

Sem titulo
Guache sobre papel
21 x 29 cm

2015
Sabino

Jogo de luz do artista Felippe Sabino produz imagens intrigantes a partir de fotografias.

Um pintor que flerta com a fotografia, assim podemos chamar Felippe Sabino (Rio de Janeiro, 1985), formando pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O artista, desde o final de 2013, pesquisa as relações entre fotografia e pintura, traçando uma poética entre o universo da fotografia, como o efeito do flash e jogo de luz, com uma incrível habilidade e cuidado na execução dos guaches.

A captação do jogo de luz e a habilidade do artista em representar de forma minuciosa detalhes da imagem chega a confundir o espectador. Estamos vendo uma pintura ou uma fotografia? Isso ocorre tanto pela técnica utilizada – guache – quanto pelas imagens escolhidas. “Procuro dar igual importância a luz e a ausência dela. Como o que não se pode ver na imagem fosse tão relevante quanto o que se pode perceber. Em alguns momentos me parece que quanto mais preciso e metódico na representação do que é iluminado pelo clarão do flash, mais profunda e envolvente se torna a imagem”, explica Felippe.

Sabino retrata plantas, arbustos, folhagens, galhos a partir de fotografias de lugares afastados, como matagais de beira de estrada. As imagens nos conduzem por terrenos inexplorados, presente nas estradas e jardins abandonados, periféricas ao convívio e que crescem quase à revelia. “São hiatos da presença humana. Zonas mortas a serem acionadas somente quando existe algo a se esconder”, conta Felippe.

Mas não é só o que salta aos olhos, o que está na luz que interessa ao artista. O que está escondido, a cena oculta, também exerce atração. “A relação aleatória das folhagens e galhos se contrapõe ao peso absoluto da escuridão”, diz Felippe.

Formação

– Bacharel em pintura pela Escola de Belas Artes da UFRJ (2015).
– Cursos diversos na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, onde foi aluno de Frederico Carvalho, João Modé, Fernanda Lopes, Ivair Reinaldim e Marcelo Campos.
Exposições Individuais

2015
“Ermo/Reminescência”, Galeria Inox (Rio de Janeiro)

Exposições Coletivas

2014
“Que Safra é Essa?”, no Centro de Artes Calouste Goulbekian (Rio de Janeiro)

2013
“MOSCA Art Con”, Escola de Belas Artes da UFRJ
“Jovens Expressões”, Espaço de Cultura Leila Diniz (Niterói, Rio de Janeiro)

2012
“Cabaret”, Espaço de Cultura Leila Diniz (Niterói, Rio de Janeiro)

2011
Salão “Drink and Drama”, Espaço Ernani Arte e Cultura (Rio de Janeiro)

Prêmios e Bolsas

2010
Vencedor do concurso de pintura “122 anos de Abolição: para onde vamos?”, daSecretaria de Cultura da Prefeitura de Duque de Caxias.

2009
Medalha de Prata no 1º Salão de Artes Plásticas do Museu Histórico EFC.

Feiras

2015
ArtRio – Feira Internacional de Arte do Rio de Janeiro